Improvisando uma Cintiq

Não sei vocês, mas doze entre cada cinco desenhistas que eu conheço gostariam de ter uma Cintiq, aquela mesa de desenho dos sonhos desenvolvida pela Wacom onde você desenha direto na tela. Muitos desenhistas profissionais, como Mike Deodato, trabalham com uma dessas.

Mas infelizmente o modelo mais simples, custa mais de cinco mil dilmas. O que no momento é inviável para esse ByM que vos fala. O mais perto que chegava disso era usar o iPad com o Procreate

E apesar de ter uma tablet da Wacom, eu tenho uma dificuldade muito grande – iMensa – em desenhar com a mão na tablet e a cara olhando pro monitor… :/

Então que eu tive a ideia de improvisar uma. Eu tinha um laptop HP Pavilion tx2500, cuja maior característica era a tela que além da tela de toque, ela ainda girava, virando um pseudo-tablet (isso bem antes de existir um iPad). E isso tudo usando a tecnologia da Wacom…

hp-pavilion-tx2500
Eu o chamava do Laptop do Exorcista

Instalei o Manga Studio, que  está rodando superbem, apesar do processador dele ser antigo e comecei a desenhar uma página. O resultado foi este:

teste01_hq_manga_studio_ex5_bymarco
Não é pra ter sentido… Foi apenas um teste mesmo.

Posso dizer que a sensação é bem agradável. Por causa do iPad, eu me pego usando os gestos para ampliar a imagem, tocar de filtros, etc. Mas o Cintico (nome que eu dei a ele – sim, eu gosto de nomear as coisas) deu conta do recado. Eu sei que não é a mesma coisa de uma Cintiq original, mas gostei bastante do resultado final e pretendo desenhar o próximo capítulo do Contos de Berds nela.